Estudo de Caso: Apoio ao bem-estar físico

LOCAL: Índia
PROBLEMA: Stresse no trabalho que afeta a produtividade.
SOLUÇÃO: Coaching de bem-estar

A cliente era uma mulher de 36 anos responsável pela gerencia de uma equipe de vendas de 10 pessoas. Trabalhava em geral 12 horas por dia e tinha que estar permanentemente disponível para alcançar os objetivos de vendas semanais e mensais. Sentia que não tinha a energia necessária para continuar a trabalhar naquele ritmo e que estava com dificuldade em arranjar tempo para se alimentar bem ou fazer exercício. Contactou um coach de bem-estar para pedir conselhos sobre como melhorar o seu bem-estar.

O coach ajudou-a a analisar as suas noções de ética de trabalho, práticas de gestão de tempo e stresse. Com estas informações, pôde ajudar a cliente introduzindo novos hábitos alimentares e um programa nutricional para a ajudar a manter os níveis de energia. O plano ajudou-a a tornar-se mais produtiva ao longo de 12 semanas.

Dando prioridade às necessidades de bem-estar, o coach conseguiu introduzir exercícios de caminhada pequenos mas regulares que a cliente utilizou como forma de aliviar o stresse de um estilo de vida acelerado. Ela utilizou suas novas competências de gestão de tempo para trabalhar de forma mais eficaz e incentivou sua equipe a fazer o mesmo.

Aprendeu também a adaptar a sua alimentação e exercício a seu ambiente de trabalho intenso, a alcançar um maior equilíbrio para o seu bem-estar e a ajudar sua equipe a ser mais produtiva. No seu contacto de acompanhamento ela disse: «Pensei que a tentativa de integrar o bem-estar num dia já ocupado prejudicaria a minha capacidade de fazer as coisas. Ao adotar uma abordagem mais equilibrada, sinto-me com mais energia, mais produtiva e mais capaz de lidar com as exigências do trabalho. Até os membros da minha equipe disseram que notaram a diferença!»

Saiba mais sobre os nossos produtos de apoio físico para o bem-estar 

Nota: os serviços disponíveis podem variar em função do mercado. Contacte-nos para mais informações.

A história acima baseia-se numa situação da vida real. Contudo, determinados dados foram alterados ou omitidos para assegurar o anonimato do beneficiário do apoio.